Talhas

Utilizadas para preservar o azeite, o vinho e até frutas, as talhas têm mais de três séculos de história.

História

José Miguel começou com o pai, que por sua vez já havia aprendido com o seu avô, a bonita arte de trabalhar o barro.

Tradição

Preparado de forma tradicional, o barro é amassado numa fieira, uma máquina rudimentar datada de 1938.

Olaria Tradicional 

Antigamente a olaria era um bem precioso, havia em todas as vilas e aldeias várias olarias que pertenciam a diferentes famílias sem nunca se acabar o negócio. Eram estes espaços que forneciam todos os recipientes para cozinha, trabalho e lazer, especialmente nas zonas mais isoladas do Ribatejo e Alentejo, mas não só.
A arte da olaria é um legado que passa de pais para filhos e de filhos para netos, e que
requer um interesse e uma vontade de aprender enormes. Desde o início dos tempos que os
oleiros usam a terra crua para criar peças únicas, de grande valor e que sobrevivem ao passar dos anos. Cada passo no processo global de criação de uma peça de cerâmica é uma arte por si só.
Actualmente muito se perdeu para a indústria de produção em massa, no entanto, este
é um sector que está em queda também pela oferta massificada, repleta dos mesmos produtos, sem vontade e conhecimento para inovar.
Aqui na Casa das Talhas , usamos as técnicas e as tradições da olaria tradicional, recorrendo ao design tradicional , para manter vivo este valioso património da nossa cultura. Com este trabalho procuramos criar novos cenários de consumo, introduzindo a louça de barro na cozinha do dia-a-dia actual. Apelando à utilização de materiais ricos e tradicionais, promovendo também assim a nossa cultura, tradição e história

Algumas fotos deste Processo 

Verão Total em Tomar

O apresentador Zé Pedro Vasconcelos à conversa com José Miguel Figueiredo, um oleiro de “arrebimbomalho” que promete dar que falar, no programa Verão Total da RTP, gravado no dia 26 de agosto de 2015, no parque do Mouchão em Tomar.

Contato

Morada: